Fernanda dos Reis Rougemont

A dissertação discute a construção de uma medicina-anti-aging como forma de lidar com o envelhecimento físico. A análise enfoca as proposições do biomédico gerontologista Aubrey de Grey, da Universidade de Cambridge, e o seu projeto SENS – Strategies for Engineered Negligible Senescence. A pesquisa foi realizada com artigos e livros publicados por Aubrey de Grey, textos de divulgação da fundação SENS e pesquisas que dialogam com a proposta de intervenção no processo de envelhecimento, selecionadas a partir de duas das principais revistas científicas – Science Nature.  A análise apresenta a proposta biotecnológica de rejuvenescimento como meio de solucionar as doenças e deficiências do envelhecimento. São destacadas as concepções de natureza humana e corpo que dão base ao projeto anti-aging e a perspectiva do processo de envelhecimento como patologia. As controvérsias científicas e morais em torno do objetivo de combater ao envelhecimento indicam a importância da emergente conceito anti-aging na transformação do significado do envelhecimento como fenômeno físico-moral.

Banca examinadora:
Profa. Mirian Goldenberg, Presidente
Prof. Jean-François Véran
Prof. Luiz Fernando Dias Duarte