Giselle Carino Lage

Banca examinadora

Profa. Yvonne Maggie, Presidente
Profa. Mirian Goldenberg
Profa. Ana Pires do Prado

Resumo

Durante os anos letivos de 2008 e 2009 realizei trabalho de campo semanal no Colégio Estadual Olavo Moura, localizado no Rio de Janeiro, onde acompanhei o cotidiano de diretoras, professores e alunos bem como os rituais escolares comuns àquele universo. O colégio foi criado com o objetivo de romper com as desigualdades de ingresso ao ensino médio, oferecendo instrução de qualidade e, ainda, a possibilidade de acesso ao ensino técnico pelo convênio com uma Escola Técnica Federal.

O trabalho aqui desenvolvido procurará demonstrar que a qualidade de uma escola se constrói dentro dela por meio das ações das pessoas e da eficácia simbólica de suas crenças sobre a educação, a escola e o ensino. Nesta dissertação, descrevo as percepções e as práticas escolares das diretoras e dos professores que interagem neste ambiente escolar e as tensões vivenciadas por uma escola que pretende ser “para todos”, consegue boa qualidade do ensino, mas está presa às contradições imanentes a um sistema escolar meritocrático, no qual a concessão da igualdade esbarra na escolha e no preparo dos melhores alunos.