Banca examinadora


Prof. José Ricardo Ramalho (Presidente)
Prof. Marco Aurelio Santana
Profa. Maria Lúcia Werneck Viana


Resumo

Esta dissertação se propõe a discutir os impactos da implantação de uma fábrica de automóveis, a partir do caso da região Sul fluminense, com ênfase nos efeitos sobre as relações de trabalho e sobre a capacidade de resistência e organização dos trabalhadores metalúrgicos. A pesquisa tomou como base a fábrica brasileira de automóveis do Grupo PSA Peugeot Citroën, inaugurada em 2001, no município de Porto Real (RJ). Trata-se da primeira fábrica da multinacional francesa no Brasil.

A temática da reestruturação produtiva no que diz respeito à indústria automotiva mundial tem sido objeto de intenso debate, principalmente por se tratar de um setor estruturado em cadeias produtivas globais, com grande capacidade de incorporar inovações tecnológicas e organizacionais visando um aumento da produtividade e da competitividade. O impacto dessas mudanças atinge o Brasil na década de 1990, com novos investimentos e um processo de re-espacialização das empresas no território nacional, com o objetivo de obter vantagens fiscais e fugir do sindicalismo forte existente nas regiões industriais mais antigas. É nesse contexto que a PSA Peugeot Citroën escolhe a localidade de Porto Real, para construir sua fábrica.

A proposta da pesquisa é descrever e problematizar o processo de construção das relações de trabalho nesse contexto fabril (regiões greenfield) marcado por novas estratégias gerenciais de controle da linha de montagem, principalmente através da flexibilização do trabalho e observar como se configura a reação dos trabalhadores