Luciana Gomes Ferreira

Essa dissertação analisa a produção de distinções e semelhanças no acesso e uso de computadores e internet por jovens. Visa investigar os impactos da expansão da conexão e da diversificação nas utilizações da internet sobre as desigualdades associadas à disseminação diferenciada desses dispositivos, enfocando jovens de áreas onde a possibilidade de acesso aos mesmos alcança a maioria da população. Para tal, entrevistaram-se 32 alunos de duas instituições de ensino formal – um colégio da rede estadual de educação localizado na zona norte e uma escola particular da zona sul –, de 15 a 18 anos, residentes na região metropolitana do Rio de Janeiro e matriculados no Ensino Médio. Conclui-se que o acesso e uso de computadores e internet entre jovens apontam para semelhanças e distinções entre indivíduos que ocupam diferentes posições no espaço social. No contexto estudado, a possibilidade e qualidade do acesso àquelas tecnologias, a aprendizagem das habilidades para sua utilização e a maioria dos usos realizados pelos entrevistados não constituem fontes de desigualdades. De fato, alguns usos destacam a vivência da juventude como uma “experiência de massa” (DUBET, 1996a). Contudo, os usos da internet também atuam como mecanismos de reprodução social, pois: a utilização das redes sociais virtuais reforça a coesão de certos grupos sociais; e a incorporação distinta das TICs nos processos de ensino-aprendizagem tende a beneficiar mais intensamente estudantes com maior renda familiar e cujos pais 12 possuem maior grau de instrução, refletindo e contribuindo para a continuidade das relações sociais, econômicas, políticas e culturais mais amplas.

 

Banca examinadora:
Profa. Celi Scalon, Presidente;
Profa. Maria Ligia Barbosa;
Profa. Regina Novaes.