Normando Jorge de Albuquerque Melo

Resumo da Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia, Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, como parte dos requisitos necessários à obtenção do grau de Doutor em Sociologia.

Esta pesquisa foi desenvolvida no âmbito daquilo que pode ser entendido como a sociodinâmica da identidade/alteridade (no seu sentido negativo). Tomou-se como referencial empírico desta pesquisa a experiência dos jovens de ambos os sexos que cumpriam medida socioeducativa de internação nas unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo de Pernambuco (FUNASE-PE). A pesquisa seguiu por meio da observação direta (e da escuta indireta), dos registros gráficos e em áudio, de conversas informais e entrevistas semiestruturadas tanto com os jovens, como com os seus familiares, os funcionários e equipes técnicas dos 4 Centros de Atendimento Socioeducativo da Região Metropolitana do Recife, e principalmente, por meio de um survey que envolveu uma amostra de 392 indivíduos. Tudo isso foi posto a serviço de um hercúleo trabalho de problematização, pondo uma técnica a serviço da outra. Partindo do pressuposto durkheimiano de que o crime não está no ato em si, e tampouco deriva de uma qualidade especial do sujeito da transgressão; ao contrário, se constitui a partir da acusação que se volta contra este e sua subjetividade, o alvo da acusação passa a ser um aspecto central para que entendamos os seus desdobramentos na identidade desses acusados. Assim, o objetivo desta pesquisa foi entender como estes jovens que cumprem medida de internação elaboram suas autoimagens frente ao jogo de espelhos que lhes é oferecido, e se de algum modo, assumem a identidade do “sujeito criminal”, esse outro que habita um mundo a parte, e de quem se espera a reiteração da prática infracional.

Banca examinadora:
Prof. Michel Misse
Profa. Joana Domingues Vargas
Prof. Jean-François Véran
Prof. Sergio Adorno
Prof. Cesar Barreira