PAULA ALMEIDA JATAHY FERREIRA

 Nesta dissertação de mestrado objetivamos analisar as ações sindicais do Sinttel-Rio nos anos 2000 a fim de apreender a resposta sindical às diversas crises que se estabeleceram nesta instituição a partir dos anos 1990. O setor de telecomunicações sofreu grande impacto com o processo de transformações do modo de produção capitalista. As reestruturações organizacionais e produtivas das empresas de telefonia foram sendo implementadas crescentemente nos anos anteriores à privatização do Sistema Telebrás em 1998, processo este que se intensificou quando as empresas deixaram de ser estatais. As consequências foram severas para maior parte da categoria através de demissões, terceirizações, insegurança no emprego, intensificação do trabalho e perda salarial e de benefícios. Diante desse cenário ocorreram profundas alterações nas bases sociais que orientavam as ações do Sinttel-Rio, sindicato este que vivenciou em meados dos anos 1980 seu auge de mobilizações e conquistas. A importância desta instituição, seus discursos, seus valores e suas práticas, moldadas através de sua experiência histórica foram colocados em xeque. Nos primeiros anos da década de 2000 o sindicato enfrentava diversas crises. Diante deste cenário foram postas em prática antigas e novas formas de ação visando organizar e mobilizar a nova e imensa categoria, que se reconfigura a partir das privatizações, com a entrada massiva de jovens e mulheres no setor, principalmente através da expansão do setor de teleatendimento. Campanhas de sindicalização, aumento da oferta de serviços e uso da internet como ferramenta de mobilização, foram algumas das estratégias, que levaram o sindicato a apresentar melhoras nos índices de sindicalização e maior capacidade de organização, deixando parte da crise para trás a partir de meados da década de 2000.

Banca examinadora:
Prof. Marco Aurélio Santana, Presidente
Profa. Elina Pessanha
Prof. Adalberto Cardoso