Banca examinadora

Peter Henry Fry
Yvonne Maggie
Bila Sorj
Carlos Hasenbalg
Livio Sansone


Resumo

Esta tese discute a problemática da inserção dos negros no mundo do trabalho procurando responder qual a relação entre cor e trabalho no Brasil.A tese começa com uma discussão das principais formulações e reformulações do conceito de trabalho no Brasil e sua relação com a questão racial, desde o processo de passagem do regime trabalho escravo em regime de trabalho livre, procurando acompanhar de que forma elas se relacionam com as mudanças sociais e econômicas do país. Em seguida apresento uma análise das relações entre cor e trabalho no Brasil contemporâneo. Duas abordagens da temática das relações raciais dialogam nesta análise. A primeira são os estudos quantitativos. Tomo como base os trabalhos que tratam as desigualdades racionais no mercado de trabalho a partir de interações com outras variáveis, principalmente a educação, na composição desse quadro sócio-econômico da população negra. Nesse trabalho serão utilizados dados das PNADs de 1988 e 1998 sobre inserção ocupacional. Esse mapeamento fornecerá uma dimensão das possibilidades dos “lugares” ocupados pelos negros na estrutura ocupacional bem como indicações sobre possíveis mudanças e em que direção.A segunda abordagem são as pesquisas de cunho qualitativo que tratam de temas como ascensão social e análises de trajetórias ocupacionais específicas (como, por exemplo, estudos sobre empregadas domésticas, jogadores de futebol, entre outros) que procuram apreender quais mecanismos discriminatórios atual nas relações cotidianas de trabalho. Este estudo, através de entrevistas, procura entender como que as pessoas inseridas no mercado de trabalho lidam com a discriminação ou o medo dela. Com base no mapeamento estatístico foi desenvolvida a idéia de “lugar” como uma representação que pode ou não ser corroborada no cotidiano. A cor modifica a condição de interação a partir das características de cada espaço e no âmbito do mercado de trabalho, analisado nesta pesquisa, ela atua de forma diferenciada dependendo das características das ocupações no que tange a status, renda e funções.

ABSTRACT

This thesis discusses problems related to the insertion of blacks in the labor market in an attempt to detect the relationship between color and work in Brazil.The thesis begins with a summary of the most important studies on the concept of work and its relation to the racial question starting with the transition from slavery to a free labor market and relating subsequent changes to shifts in the social and economic structures of the country. The rest of the thesis is devoted to analyzing the relationships between color and work in contemporary Brazil. Two approaches are adopted in this analysis. The first is a quantitative one which is based on the studies which have related racial inequalities in the workplace to other socio-economic variables, in particular education. This part of the analysis utilizes data from the national household surveys (PNDAs) of 1988 and 1998. The statistical mapping provides the basis for understanding the possibilities of specific “places” within the occupational structure, which are occupied predominantly by blacks. It also suggests possible changes and in which direction.The second approach is based on the qualitative studies which look at issues such as social mobility and individual trajectories (such as, form example, studies of domestic workers and football players among others), which point to those discriminatory mechanisms. Which operate in the day-to-day life of the workplace. On the basis of a number of interviews, this thesis aims to understand how black workers perceive and deal with such discrimination or the fear thereof. In addition, the interviews reveal the extent to which the “places” revealed by the statistics are part of the representations of the workers themselves. An individual’s color is shown to modify interaction in each specific social space within the workplace. It operates in distinct manners, however, depending on the characteristics of the employment in terms of status, income and functions.