Banca examinadora 

Profa. Beatriz Heredia (orientadora)
Profa. Maria Rosilene Alvim
Profa. Elina Pessanha
Prof. José Sérgio Leite Lopes
Profa. Iná de Castro

Resumo

O objeto deste estudo é o processo de mudanças nas relações de poder ocorrido em um distrito do norte fluminense transformado em área de proteção ambiental (APA). Em uma localidade que era quase que exclusivamente agrícola até os anos 80, moradores de origem urbana vêm desempenhando um papel fundamental na implantação da unidade de conservação. Até então, alguns grandes proprietários intermediavam o acesso da população à maioria dos serviços públicos e aos benefícios provenientes de relações personalizadas com políticos. Foi criada uma nova instância de poder, o Conselho Gestor de APA. Com base no Zoneamento e nas recomendações contidas no Plano de Manejo, foi atribuído ao Conselho Gestor o papel de promover uma reconfiguração do espaço, através da regulação de toda sorte de atividades interpretadas como interferências no meio ambiente. O processo de criação da APA do Lima consolidou novas regras para a utilização do espaço e dos recursos, fundadas não somente na premissa da preservação ambiental, como também na sua apropriação pelo grupo que conduziu este processo. Assim, a criação da APA consolidou, também, a inserção de neo-rurais que atuaram como ambientalistas locais nas relações de poder e na disputa pelos recursos.

Palavras-chave: Relações de poder, meio ambiente, gestão participativa, unidade de conservação.