O objetivo dessa dissertação é analisar, por meio de entrevistas, catálogos, e artigos de jornal e revista, o tipo de sociabilidade que abarca as categorias sociais presentes na prática editorial da Cosac Naify ao promover o projeto gráfico como elemento fundamental do seu projeto editorial. A atividade de editar estabelece-se como atividade intermediária entre o texto escrito e o leitor. É, dessa forma, importante na circulação de ideias e no estabelecimento de um debate público, estando inserido em campo relativamente autônomo, com rituais e dinâmicas próprios, mas em constante troca com as esferas políticas, culturais e sociais. Não somente o tratamento dado ao texto a ser publicado, mas o formato em que é publicado, a escolha do papel, a existência ou não de ilustração, tipos e margem de página, o projeto gráfico, em suma, é fundamental para a apresentação do livro, com consequências para o modo como circula, é comprado e lido. Constata-se, a partir do material analisado, um tipo de sociabilidade que valoriza o artesanato, a cultura material a as imagens, porém colocando-se em tensão com a necessidade de viabilidade econômica cara à lógica industrial. Este estudo visa contribuir com o pequeno, porém crescente, campo de estudos em ciências sociais sobre o universo editorial.

PALAVRAS CHAVE: Editora; Cosac Naify; Cultura Material; Design Gráfico; Campo Editorial.

 

Banca examinadora:

Profa. Glaucia Villas Bôas, Presidente

Profa. Tatiana Siciliano

Profa. Regina Bernardes Proença

Prof. Anibal Bragança