Este trabalho aborda os agrupamentos torcedores autodenominados Movimentos Populares, surgidos no Rio de Janeiro a partir de 2006. Estes grupos distinguem-se das torcidas tradicionais, de diversos modos. Apresentam nos estádios uma expressão torcedora calcada no apoio incondicional aos times, através da elaboração e performance de um repertório de cantos de exaltação, da utilização da internet e da apropriação de distintas referências estéticas e comportamentais. Por meio da etnografia de um destes grupos, o Movimento Popular Loucos pelo Botafogo, reflito sobre suas ideias e práticas, tomando como fio condutor a trajetória pessoal de um de seus fundadores e mais ativos componentes. Com isto, busco atualizar a compreensão da trama de relações que compõe a atividade torcedora na cidade, no contexto das transformações por que passa atualmente.

 

Banca examinadora:
Profa. Maria Laura Cavalcanti, Presidente;
Prof. Cesar Gordon;
Prof. José Sergio Leite Lopes.