Gabriela Fraga Fernandez

Resumo:

Tomando como caso a ser investigado a relação estabelecida de uma comunidade de moradores da periferia de Congonhas(MG), um bairro chamado Pires, com a água e o território, este trabalho busca pensar de que maneira um conflito de caráter socioambiental, entendido aqui como uma disputa por bem naturais materiais e simbólicos, é capaz de ser utilizado como ferramenta política que, ao acionar o discurso de “luta pela vida”, desnaturaliza os impactos trazidos pela presença das empresas mineradoras locais, levando a ampliação do repertório de ações coletivas, ao fortalecimento da identidade do grupo enquanto moradores de Congonhas e do bairro Pires, promovendo ainda a formação de clivagens internas e externas com a comunidade, o Estado e sociedade civil. Para tanto a análise toma como central a reconstrução de um evento especifico de degradação ambiental ocasionado pela empresa mineradora associada a CSN, NAMISA: o assoreamento das nascentes João Baptista e Boi na Brasa e sua posterior limpeza por cinco mulheres da comunidade, para abordar questões relativas a família, ao parentesco, ao estigma e a construção da identidade através de uma memória coletiva compartilhada sobre o passado da comunidade, apontando ainda para a construção de uma nova: a da resistência frente a mineração.

Palavras-chave:

Conflito socioambiental; resistência; água; mineração; mulheres; ação coletiva; identidade; território; política

Abstract:

Taking as a case being investigated the relation of a community living on the suburbs of Congonhas (MG), in a neighborhood called Pires, with the water and territory, this paper aims to reckon how a social-environmental conflict, understood here as a dispute for symbolical and natural goods, can be used as a political tool which, when operating the discourse of “struggle for life”, denatures the impacts brought by the presence of local mining companies, leading to expansion of the repertoire of collective actions, the strengthening of the group identity as residents of Congonhas and of Pires neighborhood and also promoting the formation of internal and external divisions with the community, the state and the civil society. For such, the analysis takes the reconstruction of a specific event of environmental degradation caused by the mining company associated with CSN (Companhia Siderúrgica Nacional, National Siderurgic Company), NAMISA (Nacional Minérios S/A, Nacional Minerals Inc.) as central: siltation of João Baptista and Boi na Brasa springs and its subsequent cleaning by five women from the community, addressing issues of family, kinship, stigma and the construction of identity through a shared collective memory about the past of the community, pointing, still, to the construction of a new one: the resistance against mining.

Keywords:

social-environmental conflict; resistance; water; mining; women; collective action; identity; territory; politcs

Orientador:

JOSE RICARDO GARCIA PEREIRA RAMALHO