Fernando Cardoso Lima Neto

O objeto desta tese é a noção de Organização Não Governamental (ONG) no Brasil. O principal objetivo é identificar a correlação de valores sociais que confere sentido a essa noção, analisando suas variações de significado no decurso da história. Na primeira parte da tese, mobilizo um aporte macro sociológico para tratar da formação do campo das ONGs no Brasil. As relações entre Igreja, Estado e sociedade na promoção de assistência social no Brasil acabaram por consolidar os três principais valores sociais que conferem sentido à experiência das ONGs: filantropia, justiça social e ecologia. Na segunda parte, mobilizo um aporte micro sociológico para interpretar esses valores à luz de quatro trajetórias individuais. Cada trajetória apresenta um ponto diferente de cruzamento entre os vários processos macro históricos de formação dos três valores sociais discutidos na Parte I. Os resultados gerais apontam os valores da justiça social, filantropia e ecologia como os principais códigos culturais que conferem sentido à experiência das ONGs no Brasil. Os dois primeiros possuem uma conexão histórica comum, qual seja, as organizações de leigos católicos que estiveram sempre presentes no contexto da promoção de assistência social no Brasil. Por sua vez, a consagração do valor da ecologia diz respeito a um contexto originário diferente, que remonta, sobretudo, às décadas de 1990 e 2000.

Tese em co-tutela com EHESS/França

 

Banca examinadora:
Profa. Elisa Reis, Presidente
Profa. Nilufer Göler (por vídeo conferência)
Profa. Glaucia Villas Bôas
Profa. Leilah Landim
Prof. Philippe Ryfman