Banca examinadora

Prof. Gian Mário Giuliani, Presidente
Prof. Henri Acselrad Profa. Paola Cappellin
Profa. Marilda Maracci

 

Resumo

O processo de redemocratização no Brasil foi um fator decisivo para a expansão de organizações da sociedade civil, que começaram a exigir que as empresas assumissem suas funções sociais e atuassem com transparência e responsabilidade nos processos produtivos. Frente à emergência das críticas e demandas dos movimentos sociais e ambientalistas, a literatura sobre responsabilidade social corporativa sustenta que está em processo no Brasil uma mudança gerencial nas grandes empresas em direção a maior responsabilização social e ambiental de suas práticas. Sabemos que a empresa, enquanto ator social participa, efetivamente, das mudanças sociais, entretanto nesta dissertação pretendemos analisar sob quais mecanismos estas mudanças se concretizam. Como objeto de estudo, investigamos a influência exercida pela crítica social nas estratégias sócio-territoriais da empresa Aracruz Celulose/Fibria, analisando de que forma a articulação dos movimentos sociais críticos à empresa repercutiu nas suas estratégias de expansão e controle de territórios.