Banca examinadora

José Reginaldo Santos Gonçalves Maria Rosilene Barbosa Alvim Neide Esterci Afrânio Raul Garcia Júnior Arno Vogel

Resumo

No início dos anos 30, entra em cena uma nova geração de sanitaristas no campo da saúde pública brasileira. Essa geração tomará parte num dos maiores empreendimentos em termos de políticas públicas na área da saúde já realizados no Brasil. Seus representantes serão os protagonistas das grandes campanhas de combate aos vetores e endemias rurais, implementadas por todo o país a partir desse período. A análise da trajetória profissional desses sanitaristas evidencia as marcas de sua formação. Dessa formação, fazem parte as constantes “viagens” na realização de seu “trabalho de campo”. Mas podemos supor que as atividades desenvolvidas por esses profissionais através de sua atividade como sanitaristas não se restringiam a ações puramente técnicas e instrumentais. A densidade dramática presente em suas narrativas nos indica que essas ações foram acompanhadas de uma profunda reflexão a respeito de seu significado cultural e de seu impacto sobre a sociedade brasileira. Tomando como ponto de partida o conjunto de narrativas de um grupo de profissionais pertencentes a essa geração, buscou-se aqui construir uma espécie de “etnografia retrospectiva”. As formas de representação de si mesmos nos vários momentos de suas carreiras e das realidades com as quais entraram em contato, através de seu trabalho, assim como as categorias a partir das quais construíram suas narrativas, constituem o corpus etnográfico estabelecido com e pelo próprio grupo. ABSTRACT In the beginning of the thirties, takes place a new generation of sanitarians in the field of Brazilian public health assistance. That generation will take part in one of the greatest achievements in terms of public policies in the domain of health already made in Brazil. Its members will be the actors of the great campaigns against the vectors and rural endemics, established in the whole country since that period. Due the professional background are part the “trips” in the “field work”. But we may argue that the activities developed by these professionals through their work as sanitarians would not be only technical and instrumental actions. The dramatic density in their narratives shows us that those actions were followed by a deep reflection about its cultural meaning and its impact over Brazilian society. Taking as a starting dot the “set” of narratives of one group of professionals part of that generation, it was tried here to build a kind of “retrospective ethnography”. The forms of representation of their owns in different moments of their background, and the realities that they got into contact with their work, as the categories in what they built their narratives, embodies the ethnographic corpus analyzed here.