Banca examinadora

José Ricardo Ramalho
Marie-France Garcia-Parpet
Gian Mario Giuliani
Philippe Léna
Neide Esterci


Resumo

Esta tese analisa o processo de construção de um mercado de madeiras certificadas pelo selo do Forest Stewardship Council (FSC) na Amazônia brasileira. A certificação florestal pode ser compreendida como uma estratégia, desenvolvida a partir dos anos 90, por um conjunto de organizações não-governamentais ambientalistas (WWF-Internacional, Amigos da Terra-Internacional, Greenpeace-Internacional a frente) para tentar modificar o padrão de funcionamento da indústria mundial de madeiras, face ao insucesso relativo da política anterior de boicote a compra de madeiras oriundas de florestas tropicais. Como mostram vários trabalhos de sociologia econômica, o processo de construção de um mercado requer sempre um conjunto diverso de investimentos, de forma a permitir o estabelecimento e funcionamento das trocas mercantis. No caso em questão, procuramos mostrar como esse processo se desenrolou, através do trabalho de crítica ao mercado tradicional de madeiras tropicais e do fomento ao desenvolvimento de mecanismos de apoio a emergência da produção de madeiras certificadas, destacando também, a trajetória das primeiras empresas que obtiveram o selo florestal, de forma a procurar compreender as possibilidades desse mercado vir a sobrepujar o mercado tradicional e orientar a exploração florestal na Amazônia para caminhos mais próximos do que hoje pode ser considerado como uma atividade sustentável.

Palavras-chave: Sociologia econômica. Sociologia dos mercados. Indústria florestal. Empresa e meio ambiente. Ambientalismo. Certificação florestal. Amazônia.

ABSTRACT

This thesis studies the process of construction of a market for Forest Stewardship Council (FSC) certified timber in the Brazilian Amazon. Forestry certification can be understood as a strategy developed from the 1990s by some environmental non-governmental organizations (led by WWF-International, Amigos da Terra-Internacional and Greenpeace-International) in an attempt to modify the working patterns of the world timber industry face the relative failure of the previous boycott policy of tropical timber.
The process of construction of a market, as shown by several works in economic sociology, always demand investments that facilitate the mechanism of commodity exchange. We try to show that in the case of certified timber products, market construction unfolds from the criticism of the traditional market for tropical wood products and from the promotion of mechanisms that supported the growth of certified timber production. We also highlight the trajectory of the first firms who obtained the stamp of forestry certification in order to try to understand the likelihood that this market becomes dominant and therefore redirects forest exploitation in the Amazon towards standards closer to what could be nowadays considered a sustainable activity.

Key Words: Economic sociology. Sociology of markets. Forest industry. Industry and Environment. Environmentalism. Forestry certification. Amazon.