Roberto Marques

Banca examinadora

Prof. Marco Antonio Gonçalves, Presidente
Prof. José Reginaldo Gonçalves
Prof. Octávio Bonet
Profª Adriana Vianna
Prof. Escott Correl Head

Resumo

Em O Cariri do forró eletrônico: Festa, gênero e criação no Nordeste contemporâneo, utilizo material etnográfico das festas de forró eletrônico no Cariri a fim de perceber diferentes maneiras de apropriação do típico como forma de representação e apresentação de si aos outros. Em dissonância à referência do forró como dança de pares em uma paisagem marcada pela tradição e pessoalidade, tento mostrar que sua prática contemporânea como espetáculo possibilita a incorporação criativa de diferentes projetos pelos sujeitos ali presentes, tecidos a partir de citações comumente associadas ao mundo urbano. Tal abordagem matiza as críticas sofridas pela reinvenção do ritmo, ocorrida após a década de 90, por sua íntima relação com a indústria cultural, a recepção e citação contínua de formas e produtos distribuídos pelo universo pop, a banalização do corpo feminino e das relações familiares estáveis. Ao invés de denunciar uma pretensa falta de capacidade de dotar o universo local de sentido, busco compreender o forró eletrônico a partir das narrativas de seus participantes, em uma triangulação: palco- indivíduo na platéia- antropólogo. Através das formas de estar na festa, performances, narrativas, seqüências de atitudes e falas, analiso os lugares criados pelos indivíduos em suas interações com outros indivíduos nas festas. Além disso, para que possamos nos afastar da idéia de ação como atos definidores de identidades fixas para os participantes das festas, utilizo suas narrativas sobre experiências de deriva, diversificação da espacialização em um ambiente rural pretensamente controlado e encenação do anonimato. Compreendo que tal esforço não fala apenas sobre o forró como espetáculo, mas também de um Cariri usualmente deixado de lado pela inflação de alguns de seus signos identitários mais freqüentemente visitados. O Forró nos permite, portanto, perceber uma forma de pensamento ali presente: Um Cariri do Forró Eletrônico, em suas formas criativas, gestão de identidades e anonimatos instaurados pela sonoridade do forró.