Claudia Bonan Jannotti


Banca examinadora

Paola Cappellin Giuliani 
Cynthia Sarti
Regina Reyes Novaes

Resumo

Esta dissertação é um estudo da trajetória de um grupo de mulheres da periferia da cidade do Rio de Janeiro – o Mulheraça. A ação coletiva é analisada de vários ângulos, as condições históricas e conjunturais de sua constituição, a sua estrutura interna e as formas de sociabilidade desenvolvidas, as visões de mundo e as propostas de transformação que são elaboradas, e o seu impacto sobre os processos de construção de identidade das mulheres. As práticas do Mulheraça se orientam para a transformação dos modelos culturais que estruturam as relações interpessoais, atribuem significados às identidades pessoais e coletivas, e hierarquizam as atividades cotidianas. Na militância pela transformação da cotidianidade, as mulheres se renovam como sujeitos, elaboram novas noções de seus direitos, e contribuem para a construção de uma nova noção de cidadania. Nesse sentido, e em vários outros que procuramos apontar, a experiência deste grupo aproxima-se daquele de outros fenômenos coletivos observados nos anos 80/90, no Brasil e na América Latina.

ABSTRACT

This essay studies the course followed by the Mulheraça – a group of women from the outskirts of the city of Rio de Janeiro. Its collective action is reviewed from several angles, historical conditions, and circumstances of its constitution, internal structure and forms of sociability developed: the ways of looking at the world and proposals for change; and its impact on the process of building up the identities of these women. The practices of the Mulheraça are guided by the transformation of cultural models which structure interpersonal relationship, lend meaning to personal and collective identities and rate everyday activities in order of importance. In their struggle for transforming everyday life, these women renew themselves as individuals, elaborate new notions about their rights and contribute to the creation of novel ways of interpreting citizenship. This, and in many other ways which we tried to point out, the experience of this group resembles that of other collective phenomena detected in the 80’s and 90’s in Brazil and Latin America