Eliane Tânia Martins de Freitas

Banca examinadora

Profª. Dra. Maria Laura Viveiros de Castro Cavalcanti
Prof. Dr. Emerson Alessandro Giumbelli
Profª. Dra. Márcia Pereira Leite
Profª. Dra. Cecília Loreto Mariz

Resumo

Esta tese apresenta e analisa alguns aspectos de dois processos de “santificação” popular em cemitérios do estado do Rio Grande do Norte, nordeste do Brasil. Seu objetivo é identificar algumas representações sociais que sustentam essas práticas devocionais e analisar ritos que as constituem, tornando-se como suporte para a elaboração, por parte dos devotos, de uma memória sobre morto santificado. A construção do santo é também a construção de diversos tipos de narrativas de sua história por seus devotos, que não tem como não ser também a historia de quem a narra, e que consiste em uma “leitura” sobre fatos relativamente recentes que pertencem à história do lugar, mas também às suas próprias biografias. A etnografia do ritual está centrada na grande data anual do Dia de Finados. Devido à assimilação, principalmente no plano das prestações rituais, do culto aos mortos milagrosos, ou santos, às prestações funerárias, a tese procura explorar os significados sociais do cemitério e da morte, especialmente dos casos de morte violenta, que parecem exigir das pessoas que os testemunham um trabalho simbólico mais elaborado.