Os intelectuais desempenharam um papel crucial no desenvolvimento da Ação Integralista Brasileira (AIB), movimento político-cultural que atuou entre os anos de 1932 e 1937.Altamente influenciada pelas idéias modernistas e nacionalistas e pelo pensamento autoritário e católico que vicejavam no contexto intelectual brasileiro, e tendo mobilizado elementos da estética fascista para difundir suas próprias idéias e valores e seu projeto de intervenção, a AIB expandiu-se pelo país, angariando a participação em suas fileiras de homens e mulheres dos mais diversos grupos sociais. Dentre estes, destacam-se os intelectuais que não apenas envolveram- se diretamente com a fundação e direção do movimento, como também foram os principais responsáveis, através de suas atividades e produção intelectual, por criarem no movimento uma dominação de traços carismáticos cujo centro era a pessoa de Plínio Salgado, ele mesmo um intelectual, como o portador do carisma ao qual todos os integralistas deviam obediência e em quem enxergavam um líder de qualidades extraordinárias.

 

Banca examinadora:
Profa. Glaucia Villas Bôas, Presidente
Profa. Elina Pessanha
Profa. Lúcia Lippi Oliveira
Prof. Eduardo Jardim de Moraes
Prof. João Marcelo Ehlert Maia