Ana Paula Perrota Franco

Resumo:

Nos últimos anos é possível observar no Brasil e em diferentes países mobilizações políticas que defendem os “direitos dos animais”. Trata-se de movimentos que são contrários a qualquer tipo de utilização dos animais para fins de satisfação dos humanos, reivindicando o fim de toda “exploração animal”. Para tanto, esses grupos se mobilizam principalmente a fim de que os animais sejam incluídos na mesma comunidade moral que os humanos e sejam considerados sujeitos de direitos. Uma parte dessas mobilizações é realizada por professores/ pesquisadores e membros do ministério público que se engajam na elaboração da ética e do direito animalista. Ao focalizar a ação desses atores, o objetivo dessa tese foi o de compreender a elaboração de uma política multiespécie, que visa conferir aos animais a mesma consideração moral atribuída aos humanos. A escolha desse tema tem como referência a discussão antropológica sobre a relação entre natureza e cultura que problematiza a classificação ontológica desses pares conceituais, tendo em vista sociedades que atribuem a eles um significado diverso da classificação moderna. Nesse caso, se o estudo dessas sociedades permite “relativizar o exótico”, a escolha dos defensores dos animais, que colocam em cheque a moderna separação entre natureza e cultura, nos permite “estranhar o familiar”. Portanto, essa tese tratou de um projeto político que analisa criticamente a hierarquia entre seres humanos e animais como valor moderno para pensar o seu oposto que é igualdade entre os viventes. A observação dos fundamentos acionados pelos defensores para conferir legitimidade à ética e ao direito animalista mostrou que esse esforço de igualdade consiste na extensão da condição moral humana aos animais. A utilização do humanismo como parâmetro para a reivindicação do direito dos animais nos permitiu falar de pós-antropocentrismo ao invés de pós-humanismo, uma vez que o descentramento em questão diz respeito não ao humanismo como valor, mas a espécie humana como única entidade biológica merecedora de pertencer à comunidade política.

Palavras-chave:

direito dos animais, antropologia da natureza, natureza e cultura, antropologia e sociologia da moral

Abstract:

In recent years it can be seen in Brazil and in other countries in the world political mobilizations defending the “animal rights”. Such movements are opposed to any use of animals for human satisfaction purposed, claiming for the end of “animal exploitation”. To make this happen, they are mobilising efforts to put animals in the same moral standards given to humans, as well as treating them as subjects of rights. One of these demonstrations is carried out by teachers / researchers and public prosecutors who are working on the establishment of ethics and animalistic rights. One of these demonstrations is carried out by teachers / researchers and public prosecutors who engage in the development of ethics and animalistic right. By focusing on the action of these actors, this thesis targets to understand the development of a multi-species politics, which incorporate the animals in the same moral consideration given to human. The choice of this theme deals with the anthropological discussion of the relationship between nature and culture. This analysis put into in discussion the ontological classification of this conceptual pair, through research carried out in societies that give them a different meaning compared to a modern classification. Considering that the study of societies allows “relativize the exotic”, the choice in researching the “animal rights” allows us to “strange the family.” Therefore, this thesis researched a political project that critically analyzes the hierarchy between humans and animals as a modern value to think the opposite. The usage of humanism as a parameter for claiming a right of animals, allowed us to talk about post-anthropocentrism instead of post-humanism. The decentralization in question relates not to humanism as a value, but the human species as a single biological entity deserving of belonging to the political community.

Keywords:

animal rights, anthropology of nature, nature and culture, anthropology and sociology of morality.

Orientador:

JEAN-FRANCOIS VERAN