Fabiene de Moraes Vasconcelos Gama

Esta tese trata comparativamente da performance de dois grupos que utilizam fotografias para atuar na área dos direitos humanos. O primeiro, Imagens do Povo (Rio de Janeiro/Brasil), é um grupo de fotógrafos residentes em favelas cariocas que nasceu de um desejo de produzir imagens dos populares não ligadas à violência a fim de combater o processo de criminalização da pobreza. O segundo, Drik Picutre Library (Daca/Bangladesh), é um grupo de fotógrafos bangladechianos com base em um bairro de classe média de Daca que está preocupado com a imagem que o “ocidente” tem deles, relacionadas à pobreza e ao fundamentalismo religioso. O modo como esses fotógrafos reagem através de imagens a representações problemáticas feitas por Outros sobre eles é o tema desta discussão, que se insere na tradição antropológica de estudos sobre identidades, alteridades e representações sociais. Através de uma comparação transcultural, eu reflito sobre como a documentação do cotidiano e sentimentos subjetivos de privação, injustiça e exclusão são usados para construir novas formas de protesto e de ação de pessoas no mundo.