Renata Barbosa Lacerda

Resumo:

O objetivo do presente trabalho é analisar a configuração social no município de Novo Progresso (Sudoeste do Pará) a partir de uma situação de protesto, com foco nos residentes do assentamento Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) Terra Nossa e nos produtores rurais da Floresta Nacional (Flona) do Jamanxim. A principal questão que move a pesquisa é como se dá o processo de fazer um movimento, nesse caso, uma manifestação que reuniu agentes heterogêneos. Essa heterogeneidade não se dá somente entre, mas internamente às categorias sociais acionadas pelos seus representantes e pela imprensa que divulgou a ação de protesto, a qual consistiu na interdição da rodovia BR-163 por oito dias consecutivos. Através de dados históricos e das narrativas e histórias de vida dos agentes sociais estudados, busca-se entender as condições sociais para a sua situação atual, bem como os sentidos conferidos aos movimentos já feitos, tanto em termos das outras brigas anteriores, quanto das alternâncias entre atividades e da mobilidade. Constata-se que os assentados e produtores rurais ao lidar com as oportunidades e constrangimentos do presente acionam diferentes formas de ajuda e de apoio, bem como as experiências adquiridas nos movimentos. Com base nesse conjunto de elementos, se procura demonstrar a maneira pela qual esses agentes se relacionam e agem perante as políticas públicas de ordenamento fundiário, de gestão ambiental e de infraestrutura implantadas na “região”. Observa-se que a atuação do Estado se deu ao longo do tempo através de uma multiplicidade de agências e âmbitos, os quais por vezes se contrapõem entre si. Com isso, abriu espaços para mecanismos variados de pressão e negociação política pelos agentes locais, em especial por meio de seus líderes sindicais e de associações, os quais se apresentam como seus representantes nas brigas referentes à redelimitação da Flona do Jamanxim e do PDS Terra Nossa.

Palavras-chave: Mobilidade. Estado. Família.

 

Abstract:

The aim of this essay is to analyze the social configuration in the municipality of Novo Progresso (Southwest of Pará, Brazil) on the basis of a protest, with emphasis on the residents of the rural settlement Sustainable Development Project (SDP) Terra Nossa and on the “rural producers” of the National Forest of Jamanxim. The main issue that propels this research is how the process of “making a movement”, in this case, a demonstration which gathered heterogenous social agents, comes about. This heterogeneity takes place not only between, but inside the social categories as they are presented by their representatives and by the press that reported the protest action, which consisted in blocking the BR-163 highway for eight consecutive days. Through historical data and the narratives and life stories of the social agents in question, it intends to comprehend the social conditions of their present situation and the meanings given to the “movements” that have already been “made”, either in terms of the previous “fights”, or in terms of their ever-changing activities and their mobility. Is was possible to verify that, when dealing with opportunities and constraints in the present, both “settlers” and “rural pruducers” mobilize different forms of “help” and “support”, as well as experiences acquired in their “movements”. Based on this set of elements, it seeks to indicate the way by which these agents relate to each other and act in the face of public policies implemented in the “region” regarding land ordering, environmental management and infrastructure. It could be observed that the State acted over time by means of a multiplicity of agencies and authorities that at times contradict one another. Thus, this has opened up loopholes that are seized by local agents who, in turn, bring into play a variety of political pressure and negotation mechanisms, specially their trade unions’ and associations’ leaders, who present themselves as their representatives in the “fights” concerning the demarcation of the National Forest of Jamanxim and of the rural settlement Terra Nossa.

Keywords: Mobility. State. Family.

Orientador: BEATRIZ MARIA ALASIA DE HEREDIA