Copacabana, bairro localizado na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, é o mais idoso do Brasil em termos absolutos, segundo o Censo de 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). São 43.431 moradores com 60 anos ou mais, quase um terço da população do bairro. Utilizando os referenciais teóricos e metodológicos da antropologia, o objetivo desta dissertação é compreender quais são as representações sobre o bairro elaboradas pelos seus moradores, já que o bairro é considerado o “paraíso da terceira idade”. Como eles se apropriam do espaço urbano e interagem com ele? O que significa morar em Copacabana? Como constroem sua relação com o bairro e formam suas redes de sociabilidade? Também busca-se compreender como os idosos se relacionam com o envelhecimento e que significados atribuem a essa fase da vida. Como metodologia de pesquisa utilizei a observação participante em espaços públicos do bairro, participação em reuniões de associação de moradores, entrevistas com moradores idosos e também a análise de jornais locais. Realizei ainda trabalho de campo observando uma rede de vôlei localizada na praia de Copacabana, com o objetivo de verificar como os idosos se relacionam com outras gerações.

 

Banca examinadora:
Profa. Mirian Goldenberg, Presidente
Profa. Yvonne Maggie
Profa. Andrea Moraes Alves