Resumo:

Através do estudo das relações sociais e econômicas de pequenos produtores no município de Varre-Sai, no Noroeste do estado do Rio de Janeiro, o objetivo do presente trabalho é analisar como se deu a aplicação de uma política estatal e empresarial de incentivo à produção de eucalipto no interior das unidades produtivas destes atores e como, após o fracasso desta mesma política, o mercado de madeira regional pôde se consolidar enquanto uma alternativa econômica viável. A partir do discurso dos atores locais acerca da crise que alegam viver, evidencia-se a forma como esse campesinato, que se consolidou historicamente enquanto produtor de café, enxerga uma série de transformações na organização de sua vida social e das suas relações sociais de produção que os levam a buscar alternativas à lavoura de café. As diferentes formas pelas quais se caracteriza a crise nos ajudam a entender as diferenças existentes entre os produtores locais, marcadas principalmente por aqueles que se veem como administradores e aqueles que se veem como pequenos produtores. Procuraremos demonstrar como os diferentes discursos se materializam em termos de estratégias distintas para sair da crise, mas também de diferentes arranjos produtivos nos quais as relações de trabalho familiar e não-familiar, a composição da renda e a composição do grupo doméstico determinarão a escolha de produtos a serem cultivados. A esses diferentes arranjos corresponderão também diferentes funções para a lavoura de eucalipto, não apenas em termos da utilidade da renda advinda de seu cultivo, mas também de seu uso comercial ou para o consumo no interior das unidades produtivas.

Palavras-chave: Campesinato, Economia Familiar, Crise

 

Abstract:

Through the study of the social and economic relations of small farmers in the municipality of Varre-Sai, Northwest of Rio de Janeiro, the objective of this thesis is to analyze a State policy and paper industry strategy of enhancing eucalyptus production in the small farmers’ units, and how, after the failure of that policy, the wood market became a viable economic alternative. The local actors discourse about crisis indicates how this coffee producing peasantry sees a series of transformations in its social life and in its social relations of production, and their search for alternatives to coffee production. The different ways in which the crisis is characterized helps us to understand the differences between these farmers, basically between those who see themselves as administrators and those who see themselves as small producers. We will try to demonstrate how the different discourses are connected with diverse strategies to get out of the crisis, but also with different productive arrangements in which the familiar and non-familiar work relations, the income composition and the domestic group composition will determine the choice of products to be cultivated. These different arrangements lead to different functions of the eucalyptus, not only in terms of the utility of the income provided by its cultivation, but also of its commercial uses or direct use in the small farms.

Keywords: Peasantry, Family Economics, Crisis

Orientador: BEATRIZ MARIA ALASIA DE HEREDIA