Patricia de Souza Guimaraes

Resumo:

Neste trabalho analiso a especificidade da implementação da lei 10.639 em um escola carioca frequentada por alunos brancos pertencentes a uma classe média alta. Exponho a percepção dos professores sor a lei e seu processo de implementação nesta escola, bem como sucessos e obstáculos enfrentados por eles. Para isso desenvolvi uma etnografia nesta escola durante o ano letivo de 2015, e ao fim, realizei entrevistas com alguns professores buscando entrender suas percepções sobre a aplicaçãod esta lei em um ambiente tão específico. Busquei, assim, articular as percpeções apreendidas com os dados observados durante esse processo e, com isso, pude entender a peculiaridade de ensinar história africana e afrobrasileira para alunos brancos: um pautado em uma etnicidade sem negritude. Argumento que ao se falar sobre a realidade brasileira, se recorre a um afrocentrismo – revelando a influência africana como essencial na formação nacional – mas ao mesmo tempo, esse discurso não é carregado de questões identitárias que valorizem o orgulho e o pertencimento racial – já que aquela escola só possui alunos brancos a esta valorização da identidade está distante das suas realidades. Sendo assim, a realidade africana é sempre aproximada da brasileira, mas a própria situação brasileira é, muitas vezes, distanciada dos alunos desta escola – seja para falar de identidade racial ou situações de desigualdade e discriminação social.

Palavras-chave:

Lei 10.639;Raça;Educação;Africa;Brasil

Abstract:

In this paper, I analyze the implementation specifics of the law 10.639 in a school in Rio de Janeiro, wich students are white and they belong to an upper middle class. I expose the teachers perceptive abou the law and its implementation process in the school, and all sucess and obstacles face by the teachers.

Keywords:

Law 10.639;Race;Education;Africa;Brasil

Orientador:

GRAZIELLA MORAES DIAS DA SILVA