Renata da Silva Montechiare Pires

Banca examinadora

Prof. José Reginaldo Gonçalves, Presidente
Profa. Maria Laura Cavalcanti
Profa. Ilana Strozenberg


Resumo

 

O presente trabalho como foco o ponto de vista dos jovens atores do núcleo de teatro do Nós do Morro no bairro Cerâmica, em Nova Iguaçu, acerca de suas formas particulares de apropriação de um projeto tido como social por seus fundadores. Os modos como este grupo específico de jovens, a “turma da noite”, utiliza-se de uma iniciativa partilhada entre o governo municipal e uma ONG do Rio de Janeiro são o ponto central para o debate acerca de uma experiência particular vivenciada naquele espaço. Tomando como ponto de partida, a análise de mundos artísticos e identidades sociais através do trabalho de campo realizado junto ao grupo, Arnold Van Gennep, Victor Turner, Marcel Mauss e Howard S. Becker desenham o contorno de uma proposta de transição da infância para a vida adulta, observada a partir de um período liminar: Alguns pontos parecem centrais para a aproximação da perspectiva dos jovens, “alvo” de ações ditas sociais naquele localidade. As expectativas em relação ao futuro, de um modo geral , trazem elementos relevantes, que impõem as diferenças e oposições marcadamente expostas pelos jovens. Desta forma, o “teatro” passa a ser o lugar de referência para este “ensaio da vida”, enquanto o que permanece fora dele é compreendido como “estrutura”, como um mundo de obrigações sociais do qual estariam temporariamente distantes, e para o qual em breve regressariam.

Palavras-chave: Ritual – arte – jovens – communitas.