Denise de Castro Pereira

Banca examinadora

Profa. Ana Maria Kirschner (orientadora)
Profa. Paola Cappellin
Profa. Lucia Helena Muller
Profa. Magda Neves
Profa. Maria Antonieta P. Leopoldi

Resumo

Esta tese analisa as atividades interativas que mediam experiências entre a cidade de Ipatinga e a empresa Usiminas, tendo como foco o período compreendido entre o final da década de 1980 e o início de 1990. No contexto da estruturação do objeto de investigação, dois episódios são relevantes para a conjuntura analisada: em 1988, a conquista da Prefeitura pelos trabalhadores, oriundos da oposição sindical e apoiados pelos movimentos sociais locais, promove mudanças no perfil da gestão pública; e, em 1991, a privatização da empresa que gera mudanças nas suas políticas e práticas administrativas. O pressuposto é que as políticas de gestão pública e de gestão empresarial interagem no processo em que ocorre a transformação de uma cidade da empresa em uma cidade autônoma, propiciando deslocamentos de lugares de poder capazes de promover e valorizar o exercício da cidadania, parte integrante de uma cidade autônoma. Nesse sentido, os discursos de gestores da empresa e da cidade foram matéria-prima para a interpretação de suas próprias justificativas sobre as escolhas estratégicas e políticas que mediavam as relações entre cidade e empresa. A pesquisa qualitativa centrou-se em entrevistas, com gestores públicos da empresa, lideranças políticas e sindicais, orientadas segundo técnicas de história oral, em sua vertente temática. A análise mostra como se constituíram processos da regulação social, por meio fóruns de acomodação de interesses, configurando soluções pertinentes às distintas lógicas de interação identificadas como: lógica da cidade-empresa ou da cidade da empresa; lógica da empresa da cidade e lógica da empresa sem cidade.

Palavras-chave: Cidade-empresa; Cidade autônoma; Cidadania; Políticas de empresa; Políticas da cidade.