Resumo 

Este estudo tem como objetivo delinear a rede que se tece através da Cáritas Rio para o
atendimento de pessoas em situação de refúgio no Rio de Janeiro, buscando compreender
a transversalização das diferentes pautas que a atravessam e o modo como elas se
efetivam em suas práticas. De modo mais amplo, procura-se contribuir para a análise do
campo da cooperação internacional, entendendo como agendas da ajuda humanitária
definidas a nível macro se estabelecem e se transformam quando aplicadas a nível local,
permeadas por questões institucionais e pessoais. Objetiva-se com isto compreender a
questão do refúgio – normatizada por agências multilaterais, regulada por órgãos
governamentais e executada, no caso em tela, por membros da sociedade civil – a partir
das conexões que se estabelecem neste campo. Mais especificamente, este estudo explora
a transversalização do conceito de “ajuda”, suas origens e as motivações que incidem
sobre a atuação da Cáritas Rio, como parte dos modernos instrumentos de
governamentalidade. Também o explora na composição de um ciclo de dádivas
envolvendo aspectos de “dar, receber e retribuir”. A análise de rede que o compõe envolve
instituições e pessoas, buscando atentar para os mecanismos que são utilizados para
mobilizar corações e corpos, tais como a produção de imagens, notícias, dados e
estatísticas. O cruzamento de fronteiras por refugiados desestabiliza concepções
referentes à formação de nações, o que provoca um encurtamento de distâncias da rede
que se preocupa com este fenômeno por se propor a atuar de forma global na localidade
em que este grupo está.

Palavras chaves: 1. Cooperação Internacional. 2. Ajuda humanitária. 3. Cáritas Rio. 4.
Refugiados. 5. Rede

 

Banca examinadora: Profa. Maria Barroso, Presidente

Prof. Fernando Rabossi

Profa. Adriana Resende Barreto Viana