Thaís Danton Coelho

Banca examinadora

Profa. Gláucia Villas Bôas, Presidente
Profa. Helena Bonemy
Profa. Adélia Maria M. Ribeiro

Resumo

Este trabalho tem como objeto de estudo o processo de reconfiguração recente de um conflito entre segmentos sociais envolvidos na produção de castanha-do-brasil nas localidades do entorno do Lago Ayapuá, municípios de Beuri e Anori, baixo rio Purus, Amazonas. Basicamente o conflito gira em torno da disputa pelo direito de explorar e comercializar a castanha-do-brasil, travada entre castanheiros, proprietários de terra e regatões. Esse processo foi particularmente influenciado pela criação da  Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus na região, em 2003, quando passaram a ter presença no local os gestores da Reserva, que vieram a ocupar o papel de mediadores do referido conflito. A partir de entrevistas com os atores mencionados, observação participante e análise de documentos, identificaram-se os diferentes tipos de mediação preconizados pelos gestores, que acentuaram as condições para um redimensionamento das relações sociais locais e do conflito, tendo a assinatura de “Acordos” entres as partes seu ponto crítico.

Palavras-chave: extrativismo da castanha – conflito social – Reserva de Desenvolvimento Sustentável – mediação – acordos.