Os conflitos entre empresas e populações locais tendo por base os usos e formas de apropriação de territórios e seus recursos naturais estão na ordem do dia, como atesta a recente polêmica sobre a construção da hidrelétrica de Belo Monte a desalojar grupos indígenas na bacia do Rio Xingu, no estado do Pará. Na Baía de Guanabara, estado do Rio de Janeiro, recentemente foram iniciados protestos envolvendo parte dos pescadores artesanais contra a exclusão de áreas da pesca promovida pela instalação de empreendimentos ligados ao Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro, o maior investimento individual da história da Petrobras. Esta tese descreveu e analisou o processo conflituoso, colocando sob foco as ações e reações dos pescadores, suas condições sociais, os seus objetivos diferenciados e as conseqüências dessas ações para a reprodução desse grupo social, tendo como referência as teorias, idéias e princípios ligados ao movimento por justiça ambiental.

 

Banca examinadora:
Prof. Gian Mario Giuliani, Presidente
Profa. Elina Pessanha
Profa. Marta Azevedo Irving
Prof. Carlos Frederico Loureiro
Profa. Selene Herculano dos Santos