Renan Reis de Souza

Resumo:

A pesquisa aqui apresentada é o resultado de diversas transformações de objetivos, temáticas e também hipóteses. Tendo como ponto de partida a captura de nosso olhar para as obras de arte plástica de Hushahu, do povo Yawanawa do Rio Gregório/AC, buscamos trazer à compreensão etnológica os processos criativos nos quais são criadas imagens capazes de ensinar e também de construir corpos. Aqui, percebemos que a construção de imagens e corpos estão diretamente associadas, assim como a diversos outros elementos da cultura Yawanawa. A pajelança aparece aqui como um pano de fundo que norteia diversas relações entre os Yawa e os não-Yawa, desde os brancos aos espíritos chamados Yuxi. A relação com o “outro” aparece de forma estruturante, fazendo tecer-se relações e comunicações entre o modo dos antigos e os contemporâneos de fazer as coisas nos padrões Yawanawa. Acreditamos, assim, conseguir trazer o nosso caso etnográfico para dar suporte às noções antropológicas que compreendem a transformabilidade da cultura ameríndia enquanto uma qualidade sine qua non da construção de corpos e modos de existência.

Palavras-chave: Arte; Corpo; Xamanismo

 

Abstract:

The research presented here is the result of many transformations of objectives, thematics and also hypothesis. Taking as a starting point the capture of our attention to Hushahu´s artwork, from Yawanawa people of Gregorio´s river (Acre/Brazil), we hope to bring to an ethnological compreension the criative processes in which images are made capable to teach and also to build bodies. Here, we realize that the construction of images and bodie are directly related, as well as many other elements from the Yawanawa culture. The shamanism appears here as a backdrop that guides various relationships between the Yawa and the non-Yawa, since the White people until the spirits called Yuxi. The relation with the “other” appears here in a structural way, establishing relations and communications between the way of the old and the contemporaneous to do the things in the Yawanawa standard. We believe, therefore, that we can bring our ethnographic case to support the anthropological notions that comprise the culture transformability as a sine qua non quality of building bodies and modes of existence.

Keywords: Arts; Body; Shamanism