Julieta Ferreira Romeiro

As mudanças na estrutura e nas relações familiares figuram como uma das mais importantes consequências da modernidade. A emergência da família individualizada, fundamentada no amor e na intimidade, passa a reorientar as relações conjugais e parentais assumindo um importante papel de produtora de sentido e de identidade aos indivíduos. O objetivo da tese é explorar processos de destradicionalização das identidades de gênero entre mulheres das camadas populares. Tomando as famílias monoparentais femininas de baixa renda como um terreno privilegiado para observar transformações nas representações de gênero, procura-se verificar como a separação conjugal inaugura um processo de mudanças que englobam desde a reorganização da dinâmica cotidiana da família, a reordenação dos recursos materiais, até um processo intenso de revisão de valores e de questionamento das identidades sociais e de gênero das mulheres. Nesse processo de mudanças, percebemos que apesar das dificuldades relativas à renda serem uma constante na vida dessas mulheres, elas acionam recursos materiais e simbólicos capazes de garantir aos seus filhos melhores condições de vida, principalmente no que diz respeito à segurança e ao bem estar.

 

Banca examinadora:
Profa. Bila Sorj, Presidente
Profa. Aparecida F. Moraes
Profa. Mirian Goldenberg
Profa. Felicia Picanço
Profa. Myrian Lins de Barros
Profa. Elaine Brandão