Fátima Regina Gomes Tavares

Banca examinadora

Regina Célia Reyes Novaes
José Jorge de Carvalho
José Reginaldo Gonçalves
Marcelo Ayres Camurça
Otávio Guilherme Velho

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar as representações, práticas terapêuticas e a rede dos terapeutas não-médicos da região metropolitana do Rio de Janeiro.
Uma maior homogeneidade a nível discursivo, reunida na concepção “holística” de saúde, as ambigüidades e os rearranjos pessoais verificados na prática terapêutica, são inicialmente analisadas como características da rede terapêutica alternativa em sua diferença em relação a outros profissionais.
Aprofundando a análise, verifica-se também a existência de fronteiras internas, critérios e justificações de distinção são constantemente acionados por esses profissionais, que articulados a diferentes formas de entrada na rede, evidenciam variadas concepções de trabalho terapêutico.
Trata-se de um conjunto heterogêneo de profissionais, informado por representações fluidas e difusas que são recombinadas diferentemente na prática terapêutica, promovendo uma reelaboração dinâmica nas concepções de “espiritualidade” e de “terapêutica”, tal como essas comparecem na “nebulosa místico-esotérica”.
A partir dos anos 80 verifica-se um movimento de “especialização terapêutica” no interior dessa “nebulosa”, alargando as fronteiras de sua “linguagem” e promovendo uma autonomização da dimensão propriamente terapêutica, nos anos 90, que passa a transcender os limites da “nebulosa”.
O objeto é construído através da utilização do conceito de “espiritualidade terapêutica”, que procura das conta desse movimento de autonomização. A “espiritualidade terapêutica” tem seu eixo central de legitimidade na valorização da dimensão terapêutica como critério de auto-identificação profissional. A justificação dessa legitimidade se desenvolve como um “pragmatismo”, baseada na eficácia do tratamento por meio das técnicas utilizadas, das quais também faz parte a capacitação profissional do terapeuta.

ABSTRACT

The purpose of this thesis is to analyse the representations of ‘therapeutics’ practices and the non-medical therapeutic network from Metropolitan Rio de Janeiro area.
Important points are the characteristics of the alternative network therapy and make the difference in relation to other professionals. From one side the homogeneity of the discursive level can be conformed in the health holistic conception. In the other side there exists ambiguities and different personal remakes in the therapeutic practices.
The analysis shows the formation of inside borders. These therapists produce different criterion and disctintion’s accounts which articulated with varied forms of going into de network, originate different conceptions of therapeutic practice.
Based on a nebulous and diffuse holistic’s representation, this heterogeneous type fo professionals recombine different kinds of therapeutics’ technics. Therefore they promote a spirituality and therapeutic conception’s dynamic reelaboration as they can be observed in the mystical-esoteric nebula.
In later 80’s it happens an increwasing therapeutic specialization into the nebula and enlarge its language’s limits. This tendency improve a greater autonomy of this therapeutical dimension in the 90’s. By this way that autonomy crosses the nebula’s frontiers and produces the nowadays “therapeutical spirituality”.
The subject of this thesis is built upon the concept of “therapeutical spirituality”. It has the major point in the idea that professional’s legitimity is based on the valorization of therapeutical dimension mote than the nebula as the professional’s self identifications’ criteria. The account of this legitimity is developed as a kind of “pragmatism”, and this account is based on the centratlity of the technical’s efficacy for the therapeutics’ professional capacitation.