Raphael Jonathas Costa Lima

Banca examinadora: 

Prof. José Ricardo Ramalho, Presidente
Profª Elina Pessanha
Prof. Alexandre Fortes
Profª Rosângela Nair de C. Barbosa
Prof. Cristiano Fonseca Monteiro


RESUMO

A tese discorre sobre a capacidade de recuperação econômica e sociopolítica de Volta Redonda, cidade industrial fragilizada pelo divórcio do mais importante símbolo de sua trajetória. Nossa análise se concentra nos efeitos da privatização da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), empresa erguida a partir de 1941 e oficialmente inaugurada em 1946, procurando descrever o cenário municipal das duas últimas décadas e destacar as estratégias locais de reorganização confeccionadas naquela que classificaremos como a fase pós-privatização, onde a discussão colocada tem a ver com a possibilidade de aceleração do rompimento da relação de dependência entre cidade e empresa. É uma prerrogativa importante da nossa análise identificar os mecanismos e instrumentos constituídos e utilizados pelo poder público e por algumas entidades políticas locais a fim de promover a recuperação e a consequente revitalização do que classificaremos como uma “quase rust-belt community”. O trabalho explora o argumento segundo o qual regiões de tradição industrial em situações de crise provocadas por desaceleração na produção, saída de unidades produtivas e aumento do desemprego podem se repensar e mesmo se reinventar contanto que haja uma certa propensão à concertação manifestada na presença de uma “vibrante vida associativa”. O reconhecimento da capilaridade das organizações locais e regionais bem como sua capacidade em promover modelos específicos de solidariedade social e política nos permite desvincular a discussão sobre crise e recuperação da simples constatação acerca da ação nociva da Globalização e nos faz aceitar que certos aspectos histórico-institucionais são, de fato, capazes de influenciar a economia e o próprio desenvolvimento. Com isso, julgamos que, nos últimos anos, o enfrentamento das heranças negativas da privatização em Volta Redonda tem contado com uma crescente aproximação entre segmentos e setores sociais da cidade e da própria região do Médio Paraíba Fluminense. Isso nos obrigando a reservar, ao longo da análise, um importante espaço analítico e descritivo para ações coletivas progressivamente preocupadas em exercer um papel mais ativo no cumprimento de uma agenda de desenvolvimento cada vez mais regional.