Banca examinadora

Profa. Beatriz Heredia, Presidente;
Prof. Peter Fry;
Prof. John Comerford.

Resumo

O lobolo ou lovolo , praticado no Sul de Moçambique, é uma forma tradicional de aliança matrimonial dos tsonga . Consiste na oferta de uma compensação pelo grupo do noivo a um outro grupo, o da noiva, para este restabeleça o equilíbrio entre as famílias que compõem o clã, através da aquisição de um novo membro, uma mulher, (Junod, 1996).

Nesta pesquisa explora-se a teoria de “fenômeno social total” de Mauss, (1974), e faz-se uma abordagem antropológica das representações locais de mudança social a partir de diversas teias de relações que se iniciam com a prática do lobolo , tendo como base uma análise de dados empíricos e da leitura da obra Usos e Costumes dos Bantu , Henri. A. Junod (1996).

Apresentamos o lobolo em períodos diferentes caracterizados por distintos fatores históricos, políticos, econômicos e sociais diretamente ligados às representações locais da mudança social.

Para a comparação e interpretação das diversas fases desta forma tradicional de aliança matrimonial tsonga, fizemos uma pesquisa empírica na comunidade de N´kinga, no distrito de Matutuine, Província de Maputo, no Sul de Moçambique.

O presente estudo mostra que, com o tempo, houve mudanças ns formas de compensação no lobolo . Estas mudanças estão relacionadas com o aumento e as formas dos valores materiais que ao longo do tempo foram sendo introduzidas na prática daquele fenômeno social. No entanto, estas mudanças, não parecem ter alterado o estatuto do lobolo , ou seja, não parecem ter tido um efeito no valor e no estatuto do lobolo .

Pode-se concluir que seja qual for o valor que a transação do lobolo represente, do ponto de vista antropológico deve-se reconhecer que a sua maior peculiaridade está no seu valor simbólico como fenômeno cultural.Palavras-chave: Lobolo; Tsongas; Fenômeno social total, mudança.