Essa dissertação consiste numa descrição e análise dos processos de produção e articulação de conhecimento científico nas pesquisas com células-tronco. Como lócus de pesquisa, analiso esses fenômenos tal como eles se dão no Laboratório Nacional de Células-tronco Embrionárias – LaNCE. O pressuposto básico da argumentação é o de que esses dois processos se dão de forma totalmente imbricada, através de uma rede que conecta o laboratório a diversos atores, distribuídos em vários setores da sociedade. Nesse sentido, procuro, por um lado, detalhar o trabalho de construção do conhecimento, destacando a importância dos mediadores, isto é, os instrumentos e máquinas do laboratório. Por outro, mostro que os mecanismos de produção desse conhecimento são as primeiras estratégias de sua articulação com os campos da medicina regenerativa e da biotecnologia, entre outros, através do que chamo de extensões e transformações.

 

Banca examinadora:
Prof. Octavio Bonet, Presidente
Prof. Fernando Rabossi
Profa. Daniela Tonelli Manica