Banca examinadora

Profa. Elsje Lagrou, (orientadora)
Prof. Marco Antonio Gonçalves
Profa. Santuza Cambraia Naves
Profa. Sonia Weidner Maluf
Prof. Mical Herschmann


Resumo

Esta tese consiste em uma etnografia sobre o Funk construída a partir do nexo entre estética, criação e conectividade, tendo como contexto a rede de relações profissionais, familiares e de amizade do cantor Mr Catra. Começamos acompanhando o artista em suas turnês pela cidade do Rio de Janeiro, observando o modo como os deslocamentos com sua trupe em um carro coletivo refazem o todo da cidade, colocando em contato suas partes sociais e geográficas. Em seguida, nos voltamos para o ambiente doméstico de Mr. Catra para a notar a forma pela qual suas relações familiares o constituem bem como acompanharmos os seus discursos em torno da religião. Logo entramos no estúdio de gravação para seguir o processo criativo de diferentes artistas Funk, notando a articulação que se dá entre criatividade, difusão e consumo e ainda o emergir de um sujeito criativo que simultaneamente se apóia na individualidade e se afasta da noção de “gênio”. Nos voltamos então para a atividade artística de Mr. Catra com o intuito de evidenciar de que modo ele se faz a uma vez exemplar e singular do ritmo musical que analisamos. Por fim, chegamos à produção das estéticas corporais, tendo como guia não o corpo mas os objetos materiais, escolha que produz a sua dessubstancialização. Inicialmente nos detemos sobre a produção dos cabelos e da beleza femininos e a manipulação das representações e símbolos que a envolve, para então sermos conduzidos pelos adornos masculinos às relações de gênero e notarmos a imprevisibilidade das ações dos objetos.