Luciana Schleder Almeida

Banca examinadora

Profa. Beatriz Heredia (Presidente)
Profa. Karina Kuschnir
Prof. John Comerford

Resumo

Este estudo visa entender o processo político-organizativo de uma comunidade quilombola no litoral do Rio Grande do Sul. A análise partiu do pressuposto que essa nova definição de grupo se constitui no cruzamento dos princípios organizacionais preestabelecidos em nível local e os critérios formais impostos pela política governamental de reconhecimento. Para entender quais eram as distinções locais em jogo nesse processo, investiguei o espaço social do distrito de Bacupari, onde a comunidade quilombola está situada. Como o reconhecimento de uma comunidade quilombola pressupõe a distinção de uma comunidade negra, procurei entender em que medida essa classificação se sobrepõe a distinções preestabelecidas, além de buscar identificar quais as mudanças acarretadas com essa nova definição de grupo. A análise aponta que a intervenção estatal opera uma reorganização das relações de poder e de pertencimento, além de demonstrar como o enquadramento legal relaciona-se com formas sociais fluidas.

Palavras-chave: Antropologia, Quilombola, Família.