Banca examinadora

Prof. Emerson Giumbelli (Presidente)
Profa. Maria Laura Cavalcanti
Profa. Renata Menezes
Profa. Beatriz Catão Cruz Santos

 

Resumo

Discussões contemporâneas sobre experiências religiosas têm freqüentemente se defrontado com questões que se voltam para a redefinição do estatuto do domínio religioso. Problematizando a “tese da secularização” que previa uma restrição crescente do religioso ao espaço privado, diferentes abordagens buscam desenvolver análises relacionais e outros registros de vida social. O presente trabalho procura se inserir neste debate a partir do estudo de caso que explicita a existência de devoções religiosas no “espaço público” do Rio de Janeiro. As comemorações para o santo católico São Jorge se entendem por todo estado, tendo sua capital oficializado um feriado em sua homenagem no dia 23 de abril de 2001. Ao estudar o processo de institucionalização que tornou pública uma data festiva de caráter religioso, tivemos aqui o objetivo de analisar possíveis conseqüências que esta mudança no calendário da cidade do Rio de Janeiro acarretaram na dinâmica festiva de São Jorge na igreja localizada na área central deste espaço citadino.

Palavras-chave: 1. Religião e Espaço público. 2. São Jorge 3. Feriado 4. Festividade Religiosa.