Esta dissertação tem como objetivo analisar os mecanismos e as estratégias articulados por estudantes de origem popular para ingressarem em universidades federais no Brasil. Tratase de um estudo de caso sobre a última geração de jovens a participar de processos seletivos de universidades públicas sem a possibilidade de utilizar o recurso de políticas de ação afirmativa, evidenciando as oportunidades e os obstáculos encontrados por esse grupo de estudantes ao longo da trajetória escolar. Analisaremos autobiografias escolares publicadas na coletânea de livros “Caminhadas de Universitários de Origem Popular”, projeto desenvolvido no âmbito do Programa “Conexões de Saberes: diálogos entre a universidade e comunidades populares”, uma parceira da SECADI/MEC com a instituição Observatório de Favelas. Considerando o contexto de desigualdades nas condições de acesso ao ensino superior público, pretende-se explicar como estudantes em desvantagem econômica, em sua maioria egressos de escola pública, conseguem romper com o destino escolar esperado e obter êxito nos vestibulares mais competitivos do país. Os 110 memoriais escolares analisados foram produzidos por estudantes das universidades federais de Minas Gerais, do Pará, de Pernambuco e de Brasília, compondo alguns dos primeiros livros publicados pelo programa, em 2006. Com a sistematização dos relatos, destacando-se as regularidades e especificidades encontradas, observou-se que os percursos escolares traçados ultrapassaram ambições individuais ou familiares: as autobiografias evidenciam que o investimento na educação e o objetivo de ingressar no ensino superior constituem, para os jovens de classes populares, um projeto coletivo. A análise qualitativa do material permitiu constatar que é mobilizada uma rede de contatos a partir do local de moradia, do ambiente escolar e do trabalho dos estudantes, a fim de obter recursos – informacionais, materiais e emocionais – necessários para compensar as desvantagens e superar os entraves da trajetória. O relacionamento estabelecido entre os estudantes e as redes sociais de apoio tem influência direta no processo de escolhas e articulação de estratégias no percurso à universidade. A análise do acesso deste grupo de estudantes à universidade federal é relevante por fornecer indícios sobre as necessidades mais urgentes do estudante de origem popular que deseja prolongar seus estudos.

 

Banca examinadora:
Profa. Maria Helena de Magalhães Castro, Presidente
Profa. Maria Ligia Barbosa
Profa. Graziella Moraes Dias da Silva
Profa. Helena Bousquet Bonemy Garchet