OBJETIVOS

A disciplina se propõe oferecer subsídios teóricos e de investigação sociológica para o estudo das diferenças de gênero no mundo do trabalho. O programa é subdividido em três tópicos :

1- Apresentar a construção das categorias teóricas de globalização e modernidade resgatando seus vínculos com a problemática da sociologia contemporânea: trabalho e as relações sociais de gênero.

2- Analisar a temática da diferença sexual no mundo do trabalho, resgatando os enfoques das relações entre Estado, economia .

3- Introduzir o enfoque comparativo NORTE – SUR, como aproximação metodológica, incentivando, no último tópico do curso, a análise da configuração dos direitos e das políticas de emprego que tem fomentado a abertura de novos espaços profissionais femininos no mercado de trabalho.

P R O G R A M A

1 aula .
Apresentação da proposta do programa

1. UNIDADE: A Sociedade contemporânea e as novas configurações das globalizações. Praticas econômicas , valores e normas de governance.

2. aula
– G. THERBORN, “From de universal to the Global” e ” Globalization:dimensions, historical waves, regional effects, normative governance” in International Sociology, n. 2 june 2000
– G. THERBORN, Routes to/through modernity” in M. Featherstone, Scott, Lash and Robertttson, Global modernities, Sage 1995

3 aula
– ROBERTSON R e KHONDKER H.H. “Discourses of globalization” in International Sociology, n. 1 march 1998
– CAMARGO S. “Governança global: utopia, desafio ou armadilha? in Governança Global: reorganização da política em todos os niveis de ação, Adenauer Stiftung Pesquisas n. 16, 1999
– ROSENAU J. Governace,order and change in world politcs, in Governace without government: order and change in world politics, Cambridge University Press, 1992.

4 aula
– TOURAINE, A O retorno do Ator, ed. Instituto Piaget 1996
– TOURAINE, A Poderemos viver Juntos ? Iguais e diferentes , Ed. Vozes, 1999, de paginas 1 até 189 e 276 até 316

5 aula
– U. BECK, Risk society, ed. Sage 1993.
– Complementar : GIDDENS A ” A vida numa sociedade Pós tradicional” in Modernização Reflexiva, ed UNESP, 1997

6 aula
– SANTOS BOAVENTURA de Sousa, Reiventar a democracia: entre o pré contratualismo e o pós contratualismo in A crise dos paradigmas em C. Sociais e os desafios para o Seculo XXI, (org) ed. Contraponto 1999.
– SANTOS BOAVENTURA de Sousa, Pela mão de Alice: o social e o político na pós modernidade, ed. Cortez 1996 ver cap. IV: O social e o político na transição Pós Moderna, paginas 75- 101

2. UNIDADE- O mundo do trabalho em transformação: relações de gênero, normas e valores entre a esfera publica e a esfera privada.

7 aula

– F. THIMBAUD “La primeira Guerra Mundial: La era de las mujeres o el triunfo de la diferencia sexual ?”in Historia de las Mujeres en Ocidente vol.V, Taurus, 1994 paginas31-81.
Complementares :
– JENSON J, “Representation of gender: politicies to protect women workers and infant in France and the United State before 1914′ in Gordon L. Women, The state and welfare, University of Winsconsin Press 1990

8 aula
– HIRATA H. e LE DUARÉ H. “Les paradoxes de la mundialisation”, Cahiers du GEDISST, n. 21, L’Harmattan , 1998, paginas 1 – 25
– ABRAMO L. “Politicas de recursos humanos y modernização productiva” in R. Todaro e Rodriguez El trabajo de las mujeres en el tiempo Global, ISIS, Ediciones de las Mujeres ,n.22, 1995
– MARUANI M. “La traversée des turbulence. L’emploi féminin dans l’Europe des annés quatre-vingt-dix” in De l’Egalité des sexes, Centre National de Documentation Pedagogique, 1995.
– MELKAS H e ANKER R, Gender equality and occupational segregation in Nordic labour markets, OIT, 1998

Complementares:

– HOBSBAWM E. A invençào das tradições, ed. Paz e Terra, 1984, de pagina 9 – 24 e paginas 271- 316.
– VOUILLOT F. “Porquoi les metiers ont un sexe ? in M. MANASSEIN (org) De l’Egalité des sexes, Centre National de Documentation Pedagogique, 1995. paginas 169 – 182

3. UNIDADE – O trabalho e a igualdade: direitos individuais e direitos sociais

9 aula
– HELLER A “Sentirse satisfecho en una sociedad insatisfecha. Dos notas “in Politica de la postmodernidad, Ensayos de critica cultural, ed Peninsula, 1989. paginas 162- 197.
– FEATHERSTONE M., The heroic life and everyday life, in Undoing culture. Globalization,postmernism and identity, 1995, paginas 54 -71.

10 aula
– KYMLICKA W. Multicultural Citizenship, A liberal theory of minority rights, Carendon Press Oxford, 1997.
– JELIN E. “Mulheres e direitos humanos” in Revista Estudos Feministas n. 3, 1994. Paginas 117- 149.

complementar:
– P. CAPPELLIN e C. CAMARA, “Gênero, trabalho e cidadania nos anos 90. Contribuições para atualizar o referencial teorico” in Genero e trabalho na sociologia Latino-americana, ALAST 1998.
– F. BIMBI “Lone Mothers in Italy” Working paper of the Gender and European Welfare. (mimeo)1996
– C. SARACENO “A dependencia construida e a interdependencia negada. Estrutura de gênero da cidadania” in O dilema da cidadania, Ed. UNESP 1994.

11.aula

– N. FRASER e L. GORDON “Dependency demystified: inscription of power in a keyword of the Welfare State” in Social Politics 1994
– B. Hobson “Identidade de género. Recursos de poder y Estado de Bienestar” in Las ciudadanas y lo politico”, ed. IUEM Madrid 1996.

Complementar:
A. ORLOFF “Gender and the social rights of citizenship: the compatarive Analysis of gender relations and Welfare State” in American Sciological Review.n. 58, 1993

A. RUSSEL HOCHSCHILD “The culture os politcs: tradicional, postmodern, col-modern, and Warm-modern ideals of care” in Social politics, 1995.

B. MARQUES PEREIRA “L’Etat providence, providence de l’Etat à légard des femmes ?” em Rechereche féministes n. 1990.
B. MARQUES PEREIRA “Estado y Estado benfactor: metodologias feministas” in Revista Mexicana de Sociologia, .n. 1 1993.

4. UNIDADE: Políticas de emprego numa perspectiva global. Velhas questões e novas propostas da igualdade de oportunidades.

12 aula
– N. FRESER, “Gender equity and the walfare State: a posindustrial thought experiment, in S. Benhabib (org) Democracy and difference , Princiton University Press

13 aula
– EDELMAN L. B. “Legal ambiguity and Symbolic Structures: Organizational mediation of Civil Rights Law in American Journal of Sociology, n. 6 may 1992

Complementares:
– PATE K. Ação afirmativa nos Estados Unidos, in CAPPELLIN, DELGADO e SOARES, (org) Mulheres e Trabalho. Experiências de ação afirmativa, ed Boitempo 2002 , paginas 85-110.
– GUZMAN V. e TODARO R. “La discriminación laboral ingresa a la agenda pública” in El trabajo de las mujeres en el tiempo Global, ISIS, Ediciones de las Mujeres ,n.22 1995.
– CAPPELLIN, DELGADO e SOARES, As grandes empresas no Brasil: relações de gênero, trabalho e igualdade de oportunidades. Terceir Congreso Internacional de latinoamericanistas en Europa, (Mimeo) Amsterdam, 2002.
– J. LAUFER, L´entreprise et l ´egalité des chances, Secretariat d´Etat La documentation Francaise, 1992 .
– J. LAUFER,Les plans d´egalité profissionelles, etude et bilan 1983- 1988,

14 aula

– Kimberly PATE ” Ação afirmativa nos Estados Unidos” in Cappellin, Delgado e Soares Mulher e Trabalho, experiências de Ação afirmativa, Botempo 2000
– Edith PIZA ” O teto de vidro ou o céu não é o limite” in M. ª SILVA BENTO ação afirmativa e diversidade no trabalho, desafios e possibilidades, Casa dos psicologos, P. Paulo2000.

15 aula
– Convenções OIT n. 100 e 111
– Documentos: salário igual para trabalho de igual valor: avanços e desafios na implementação da convenções da OIT.
– CAPPELLIN P. “Globalizando os direitos das trabalhadoras” Observatório Social/ OIT/CUT 2002.
– Documento OIT, Work in Freedom , Desigualdades e discriminação no mercado de trabalho brasileiro, Brasilia, junho 2003

Complementares:
– Relatórios e diagnósticos internacional: Panorama Laboral OIT, 2002
– E. OLGIATI e G. SHAPIRO, Gender Equality in a Changing Workplace: Exploring the Links with Corporate Strategy, The European Foundation for the Improvement in Living and Working Conditions. 2002
– Relatório Nacional Brasileiro ,Convenção sobre a eliminação de todas as formas de discriminação contra a mulher, Brasilia 2002