Objetivos:

O curso pretende discutir contribuições teóricas contemporâneas sobre processos de configuração, reprodução e transformação social. A partir fundamentalmente de textos sociológicos e antropológicos, retoma o debate corrente sobre estrutura e ação, cultura, trabalho e política. Na primeira parte, parte-se do conceito de cultura para pensar a construção do social e o espaço do simbólico. Na segunda parte recuperam-se as perspectivas da análise de temas como estratificação, classe e formas de dominação. Na terceira parte, as relações entre cultura e trabalho e cultura e política são analisadas em termos das mudanças recentes observadas em diferentes sociedades. Na quarta parte através da obra de Giddens será retomada a questão da contemporaneidade a partir dos dilemas das relações entre sociedade e política.

1. Apresentação do curso:

2. Desenvolvimento do curso:

1ªParte:

Sahlins, Geertz: a cultura –
Marshall Sahlins. Cultura e Razão Prática,Rio de Janeiro, Zahar, 1979 (cap. 1, 2 e 3).

Clifford Geerz. A Interpretação das Culturas,Rio de Janeiro, Zahar, 1978 (cap. 1, 3 e 6).

Leituras complementares:

Mariza Peirano. A Favor da Etnografia, Rio de Janeiro, Relume Dumará, 1995 (cap. 1 e 2).

Jeffrey Alexander. Las Teorias Sociologicas desde la Segunda Guerra Mundial, Barcelona, Gedisa, 1990 ( “La Sociologia Cultural (2): la Rebelión de Clifford Geerz contra el Determinismo”).

Cultura, história, experiência social
E.P. Thompson, Costumbres en Común,Barcelona, Crítica, 1988. ( Introdução).

E.P.Thompson. “La Economia Moral Revisada”, in: Costumbres en Común, Barcelona, Crítica, 1988.

Leituras complementares:

E.P. Thompson. “Una Entrevista com E. P. Thompson”, in: Tradición,Revuelta y Consciencia de Clase, Barcelona, Crítica, 1979.

Christian Azais e Paola Cappellin, “Para uma análise das classes sociais”, in Relações de Trabalho, Relações de Poder, Brasília, Ed, UNB, 1997.

Cultura, história, construção do social
Marshall Sahlins. Ilhas da História, Rio de Janeiro, Zahar, 1988.

Clifford Geerz. Negara, O Estado Teatro do Século XX, Lisboa, Difel, 1980.

Pierre Bourdieu. Le Sens Pratique, Paris, Minuit, 1980 (Livro 1).

Espaço social, espaço simbólico
Pierre Bourdieu. Choses Dites, Paris, Minuit, 1987 (Espace social et pouvoir symbolique).

Pierre Bourdieu. Raisons Pratiques, Paris, Seuil, 1994 (Espace social et espace symbolique).

Leitura complementar:

-Loic WACQUANT, Introdução in Repónse.Pour une Anthropologie Reflexive. Paris Ed. Du Seuil, 1992 pp 13 – 42 Ver também tradução americana 1992

2ªParte

Ação,Estrutura e Integração Social em T. Parsons

-Jeffrey ALEXANDER “Structure,value, action: what did the early Parsons mean and what should he have said instead” in Neofunctionalism and after, ed. Blackwell Publishers, Massachusetts, 1998, pp 147 -160

-Talcott PARSONS “Orientationstheorique” ; “La nouvelle societé de tête et la modernité contemporaine” in Le système des societés moderne, ed. DUNOD, Paris/Bruxelles/Montreal, 1973, pp 4- 30 e 91 – 130.

-Talcott PARSONS “El Psicoanalisis y la estrutura social” in Ensayosde Teoria Sociologica, ed. Paidos, Buenos Aires, 1967 pp 289- 299

Leitura Complementar:

-Jeffrey ALEXANDER “Qué es la teoria ?” e “El estrutural-funcionalismo”in Las teorias sociologicas desde la segunda guerra mundial. Analisis multidimensional, Ed GEDISA, Barcelona,1989, pp 11- 26 e 38 – 49.

Ofuncionalismo e a análise da estratificação social e da familia

-Talcott PARSONS “ Un enfoque analitico de la teoria de la estratificaciónsocial” (1953) in Ensayos de Teoria Sociologica, ed. Paidos, Buenos Aires, 1967 pp 62- 78.

-Talcott PARSONS “Una revision analitica de la teoria de la estratificación social” (1939) in Ensayos de Teoria Sociologica, ed. Paidos, Buenos Aires, 1967 pp 333- 378.

MiriamM. JOHNSON “Feminism and the theories of Talcott Parsons” in Ruth Wallace(ed) Feminism and Sociological Theory.Newbury Park, Sage Publications, 1989, pp 101 – 118.

Leitura Complementar:

-Jeffrey ALEXANDER, “El estrutural-funcionalismo en su fase intermedia” in Las teorias sociologicas desde la segunda guerra mundial. Analisis multidimensional, Ed GEDISA, Barcelona, 1989, pp 50 – 65.

Aobjetividade das práticas subjetivas: condição e posição de classe

-P. BOURDIEU, “Condição de classe e posição de classe” in A economia das trocas simbolicas, ed. Perspectiva, S. Paulo, 1987, pp 3 – 26

-P. BOURDIEU, “Goûts de classe et styles de vie” in Acte de la rechereche en Science Sociales, Paris n. 5, 1976 pp 18– 43.

Trajetórias familiares, posição social e dominação

-P. BOURDIEU, La misère du monde Ed. Seuil, Paris, pp 7 – 8, 711 – 753, 795 -822, 845 – 871.

LeituraComplementar:

-Pierre BOURDIEU Repónse. Pour une anthropologie Reflexive. Paris Ed. Du Seuil, 1992pp 43 – 175.

3ªParte

Cultura e trabalho

Renaud Sainsaulieu. L’Identité au Travail,Paris, Presses de Sciences Po, 1996 ( cap. 8 e 9).

Richard Sennet. A Corrosão do Caráter- Consequências Pessoais do Trabalho no Novo Capitalismo, Rio de Janeiro, Record, 1999 (A Ética do Trabalho).

Pierre Bourdieu et alii. “Les Nouvelles Formes de Domination dans le Travail”, Actesde la Recherche en Sciences Sociales, n. 114, Septembre, 1996.

Leitura complementar:

Robert Castel, Les Métamorphoses de la question sociale, Paris, Fayard, 1995 (cap VII e VIII).

Cultura e política (1)
Richard Hoggart, “Them and Us”, in: Patrick Joyce, Class,Oxford, Oxford University Press, 1995.

Eric Hobsbawn. Pessoas Extraordinárias, São Paulo, Paz e Terra, 1998 ( Sapateiros Politizados e Tradições Operárias).

Andrew Vincent, Ideologias Políticas Modernas,Rio de Janeiro, Zahar, 1995 ( Liberalismo e Conservadorismo).

Leitura complementar:

Clifford Geerz. Local Knowledge. Further Interpretative Anthropology, New York, Basic Books, 1983 (cap. 2 e 6).

Cultura e Política (2)

Pierre Bourdieu. “Le Mythe de la ‘Mondialisation’ et l’État Social Contemporain”, in: Contre-feux,Paris, Liber-Raisons d’Agir, 1998.

Moacir Palmeira. “Voto, Racionalidade ou Significado?”, RCBS, nº 20, 1992.

Elina Pessanha e Regina Morel, “Gerações Operárias”, RBCS, nº 17, 1991.

4ª Parte

Antony Giddens e a Teoria da estruturação

-Entrevistas com A. GIDDENS: in Zeitschriftfur Sozologie1988 traduzida em Cuadernos de Sociologia, Universidad de Buenos Aires, UBA, 1995, pp 49 – 74

-e Entrevistas com A. GIDDENS in Estudos Historicos. Vol. 8 n. 16, 1995 pp 291 – 305

-Antony GIDDENS , “Introducción” e “Elementos de la teoria de la estructuración” in

La constituición de la sociedad Ed. Amorrortu, Buenos Aires, 1995 pp 39- 76. Ver também tradução em português.

Leitura complementar

-Antony GIDDENS “As dimensões institucionais da modernidade”in As consequências da modernidade ed. UNESP, 1991 pp 61 – 82

-José Mauricio Domingues “Individuals, structures and systems” in Sociological theory and collective Subjectivity, London, Macmillan 1995 pp 22 – 38

Trabalho, Relações de classe e estruturação

-Antony GIDDENS “Introdução” e “Un riesame della posizione Marxina” cap. V e “Ripensando la teoria delle classi” cap VI in The class structure of the advanced societies

London Hutchinson 1973 . Ver tradução em português

-Antony GIDDENS “Power, the dialectic of control and class structuration” in Social class and the division of labour, Cambridge University Press 1982 pp29- 45

Leitura Complementar

Artigos Folha de S. Paulo: Ulrich Beck, “Sociedade de Risco”, 23 de maio de1999.

Anthony Giddens, “Giddens rejeita brasilização”, 23 de maio de 1999.

Relações entre sociedade e política

-Antony GIDDENS, Para alem da esquerda e da direita, Ed. Unesp, S. Paulo, 1995, pp121 – 173

-Antony GIDDENS, A terceira via: reflexões sobre o impasse político atual e o futuro da social-democracia, ed. Record,Rio de Janeiro, pp 37 – 141.