Prof. Octavio Bonet

Programa em PDF

Horário: Quintas-feiras, das 09:00 às 12:00 horas

Sala Azul

EMENTA

Nas últimas quatro décadas se construiu na Antropologia um campo temático denominado “antropologia das emoções”; a configuração desse campo foi, em parte possibilitada pela introdução da antropologia na discussão sobre o estatuto das emoções na vida social, mas também pela recuperação do conceito de experiência para entender o cotidiano das populações. Assim, se começa a pensar a perspectiva Ocidental sobre as emoções comparativamente às perspectivas de diversas culturas tradicionais.

Aproximadamente nesse mesmo momento, se produz na Sociologia e nos Estudos Culturais, um crescente interesse nos estudos dos afetos, que veio a receber o nome de “virada afetiva” e que focava nas relações entre afetos, subjetividade e corporalidade. Os estudos dos afetos dialogam fortemente com a produção atual da filosofia tanto em uma perspectiva fenomenológica quanto pragmática.

Atualmente, os dois núcleos temáticos abordados no curso, têm contribuído para o que poderíamos considerar estudos sobre o trauma. Assim, na terceira parte do curso abordaremos estudos e etnografias que contribuem para definir o conceito de trauma como tema das ciências humanas.

Considero que está em jogo, tanto nos estudos das emoções, dos estudos dos afetos e do trauma, uma discussão sobre a subjetividade e corporalidade associada aos diferentes modos de socialidade; em outras palavras poderíamos pensar que continuamos lidando com os modos de construção da pessoa, que põem em discussão as oposições entre natureza e cultura e entre individuo e sociedade.

PROGRAMA

1° Sessão:

Apresentação do curso

2° Sessão: Antropologia das emoções. Campo e definições

IZARD, C. E. (2010). The Many Meanings/Aspects of Emotion: Definitions, Functions, Activation, and Regulation. Emotion Review, 2(4), 363–370.

WHITE Geoffrey. 2010. Disciplining Emotion. Emotion Review Vol. 2, No. 4; 375–376

BEATTY Andrew Current Emotion Research in Anthropology: Reporting the Field Emotion Review Vol. 5, No. 4 (October 2013) 414–422

3° Sessão: Emoção e cultura 1

LUTZ, C. 1988. Unnatural Emotion: everyday sentiments on a Micronesian Atoll and their challenge to Western Theory. University of Chicago Press.

4° Sessão: Emoção e cultura 2

ABU-LUGHOD, L. 1988. Veiled Sentiments: Honor and Poetry in a Bedouin Society. Berkeley, University of California Press.

ROSALDO, M. 1984. Toward an Anthropology of Self and Feeling. In: R. Seweder & R. LeVine, (Org.). Culture Theory. Essays on Mind, Self and Emotion. Cambridge University Press; pp. 137-157.

5° Sessão: Emoção e corpo

BEATTY, Andrew. 2014. Anthropology and emotion. Journal of the Royal Anthropological Institute (N.S.) 20, 545-563

DESJARLAIS, Robert. 1991. Poetic transformations of yolmo sadness. Culture, Medicine and Psychiatry 15: 387-42

LEAVITT John. 1996. “Meaning and feeling in the anthropology of emotions”. American ethnologist 23: 514-39

6° Sessão: Antropologia das Emoções: crítica

LYON, M. L. (1995). Missing Emotion: The Limitations of Cultural Constructionism in the Study of Emotion. Cultural Anthropology, 10(2), 244–263.

REDDY, W. 1997. “Against Constructionism: the historical ethnography of Emotions”, Current Anthropology, 38 (3); pp. 327- 351.

LYON, M. L. and BARBALET, J. M. Society’s body: emotion and the “somatization” of social theory. IN: Thomas J. CSORDAS. Embodiment and experience : the existential ground of culture and self. Cambridge ; New York : Cambridge University Press, 1994 xi, 294 p

7° Sessão: Virada afetiva 1

CLOUGH, Patricia T. 2007. In: Patricia T. CLOUGH. Introduction. The Affective Turn: Theorizing the Social. Duke University Press.

GREGG, Melissa, SEIGWORTH, Gregory J. 2010. Introduction. In: Melissa GREGG, Gregory J. SEIGWORTH. The Affect Theory Reader. Duke University Press. CLOUGH, Patricia T. Afterword: The Future of Affect Studies. Body & Society 2010 16: 222

8° Sessão: Virada afetiva 2

AHMED, Sara. 2004. Affective Economies. Social Text, 22(2), 117–139. 

MASSUMI, Brian. 1995. The Autonomy of Affect. Cultural Critique, No. 31, pp. 83-109.

9° Sessão: Virada afetiva: crítica

PAPOULIAS, Constantina and CALLARD, Felicity. Biology’s Gift: Interrogating the Turn to Affect. Body & Society 2010 16: 29

LEYS, Ruth. 2011. The Turn to Affect: A Critique. Critical Inquiry, Vol. 37, No. 3 (Spring 2011), pp. 434-472

CONNOLLY, W. E. 2011. IThe Complexity of Intention. Critical Inquiry, 37(4), 791–798. doi:10.1086/660993 

LEYS, R. 2011. Affect and Intention: A Reply to William E. Connolly. Critical Inquiry, 37(4), 799–805.

ALTIERI, C. 2012. Affect, Intentionality, and Cognition: A Response to Ruth Leys. Critical Inquiry, 38(4), 878–881.

LEYS, Ruth. 2013. Facts and Moods: Reply to My Critics. Critical Inquiry, Vol. 38, No. 4,

10° Sessão: Trauma e Psicologia

LEYS, Ruth. 2000. Trauma: a genealogy. Chicago: The University of Chicago Press. Introduction e Capítulo 1: Freud and Trauma; Capítulo VII: The Science of the literal: The Neurobiology of trauma e Capítulo VIII: The Pathos of the literal: trauma and the crisis of representation.

11° Sessão: Trauma e neurobiologia

MALABOU, Catherine. 2012. The New Wounded. From Neurosis to Brain Damage. New York: Fordham University Press. Capítulos: Part three: on the beyond of the pleasure principle – that it exists

12° Sessão: Antropologia do Trauma 1

LESTER, Rebecca. 2013. Back from the edge of existence: A critical anthropology of trauma. Transcultural Psychiatry 50 (5): 753–76

GOOD, Mary-Jo DelVecchio. 2013. Perspectives on trauma and healing from anthropology and social and affective neuroscience. Transcultural Psychiatry, 50(5) 744–752.

ZAROWSKY, C., & PEDERSEN, D. 2000. Rethinking Trauma in a Transnational World. Transcultural Psychiatry, 37(3), 291–293.

13° Sessão: Antropologia do Trauma 2

FASSIN, Didier e RECHTMAN, Richard. 2009.The Empire of Trauma. An Inquiry into the Condition of Victimhood. Princeton: Princeton University Press.

14° Sessão: Trauma, sofrimento e PTSD

CRAPANZANO, V. 2004. “Body, Pain and Trauma”. In: V. CRAPANZANO. Imaginative horizons. An Essays in Literary-Philosophical antrhropology. The University of Chicago Press

ZAROWSKY, Christina. 2004. Writing Trauma: Emotion, Ethnography, and the politics of suffering among Somali returnees in Ethiopia. Culture, Medicine and Psychiatry 28: 189–209, 2004.

ZAROWSKY, C. 2000. Trauma Stories: Violence, Emotion and Politics in Somali Ethiopia. Transcultural Psychiatry, 37(3), 383–402.

15° Sessão:

Discussão trabalhos finais