Luiz Costa

Email: luizcosta10@gmail.com
Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/8438434758397818

Doutor em Antropologia Social, PPGAS/Museu Nacional/UFRJ, 2007.
Etnologia Indígena

PORTUGUÊS ENGLISH ESPAÑOL

Projetos em Andamento

Maestria e Relações Assimétricas na América Indígena

A partir de estudos sobre as relações assimétricas na Amazônia e das noções de maestria e domínio, busco estudar de modo comparativo, no tempo e no espaço, as formas socioculturais que implicam assimetria e dependência, envolvendo tanto humanos como não-humanos.

A História Tripartida entre os Kanamari da Amazônia Ocidental

O projeto analisa a articulação da organização social com a mudança histórica a partir da etnografia dos Kanamari, povo de língua Katukina do sudoeste do estado do Amazonas. Os Kanamari narram a sua história na forma de um esquema tripartite que segmenta o passado em Tempos ou Eras : (1) o Tempo de Tamakori , cujo nome é uma referência ao herói-criador, e que delimita o tempo anterior ao contato com a população não-indígena; (2) o Tempo da Borracha , que cobre o período no qual participaram da economia extrativista da região, compreendido do final do século XIX até meados do século XX; (3) o Tempo da Funai , que se inicia com a chegada do um funcionário do órgão indigenista em 1972 e se estende ao presente, e que é caracterizado pelo cancelamento de dívidas com os patrões da borracha e da madeira e a demarcação da Terra Indígena do Vale do Javari, onde atualmente habitam. Os tempos históricos kanamari replicam o processo de ocupação exógena da região que tradicionalmente habitam, mas, longe de ser uma reação passiva a uma história que lhes é imposta, cada um dos tempos é narrado como tendo um efeito único sobre uma instituição social nativa, rotulado de subgrupo pela literatura, que não pode ser definido sem referência ao esquema histórico tripartido. O projeto não só investigará a história tripartida kanamari e seus desdobramentos, mas também buscará compará-la com os esquemas de periodização da história de outras sociedades do sudoeste amazônico, onde tais esquemas são ao mesmo tempo muito difundidos e extremamente produtivos em termos etnográficos.

Publicações Selecionadas:

Alimentação e comensalidade entre os Kanamari da Amazônia ocidental’. Mana: Estudos de Antropologia Social 19(3): 473-504

‘Making animals into food among the Kanamari of western Amazonia’. Em: Marc Brightman, Vanessa Grotti & Olga Ulturgasheva (orgs) Animism in Rainforest and Tundra: Personhood, Animals, Plants and Things in Contemporary Amazonia and Siberia. Oxford: Berghahn.

‘The Kanamari body-owner: predation and feeding in western Amazonia’. Journal de la Société des Américanistes (96-1): 169-192.