Flavio Carvalhaes



PORTUGUÊS ENGLISH ESPAÑOL

Existem padrões na ligação entre bens socialmente desejáveis (ex: rendimentos), posições na estrutura social (ex: ocupações) e atributos individuais (ex: idade)? De que forma a distribuição desses bens estão ligados às origens sociais dos indivíduos, ou seja, em que medida o componente inter-geracional é relevante no entendimento de como se estrutura a distribuição de algum tipo de resultado ligado ao bem-estar de uma sociedade? Essas perguntas são a matriz analítica das minhas pesquisas que buscam descrever e explicar empiricamente a estratificação social no Brasil. Atualmente, busco entender como se estrutura a desigualdade de oportunidades e resultados do ensino superior brasileiro. Meu foco é tentar descrever a heterogeneidade presente entre cursos e instituições e como pessoas de diferentes origens sociais, perfis raciais e de gênero se alocam no setor.  Em eixo paralelo, também tento entender as consequências das credenciais educacionais de nível superior no mercado de trabalho brasileiro ao longo do tempo e em perspectiva comparada.